Tratamento da febre reumática

Posted on

A Febre Reumática é uma doença inflamatória que pode comprometer as articulações, o coração, o cérebro e a pele de crianças de 5 a 15 anos.

É importante saber que esta manifestação da febre reumática pode vir isolada (sem a artrite e/ou cardite) e meses após o quadro da infecção de garganta. Na ausência das manifestações típicas da Febre Reumática a ASLO não tem qualquer valor para o diagnóstico desta doença. Outro aspecto importante no tratamento das crianças com Febre Reumática é o repouso que deverá ser individualizado para cada paciente. COMISSÃO DE REUMATOLOGIA PEDIÁTRICA Última atualização (06/04/2011) Febre reumática é uma doença inflamatória causada devido a uma infecção por estreptococos do grupo A, causadora da “infecção de garganta”. Sinais e sintomas da febre reumática - que resultam da inflamação no coração, articulações, pele e sistema nervoso central podem durar de algumas semanas a vários meses. O que vai determinar o desenvolvimento da febre reumática é a predisposição genética do paciente para o desenvolvimento da doença. • O tratamento da febre reumática consiste no uso de antibióticos e corticoterapia endovenosa para tratamento da cardite e prevenção de lesão cardíaca posterior. Neste artigo vamos explicar o que é a febre reumática (reumatismo no sangue), quais são os seus sintomas, suas causas e as opções de tratamento e prevenção. A febre reumática é uma doença inflamatória que ataca o coração e suas válvulas levando a sua progressiva destruição.

Apresentação em tema: “FEBRE REUMÁTICA COM ENFOQUE PARA DOENÇA CARDÍACA REUMÁTICA”— Transcrição da apresentação:

  • Maior predomínio de casos em pessoas do sexo feminino.
  • A doença tem maior incidência em indivíduos do sexo feminino.
  • Incidência maior da doença nos meses da primavera.

A poliartrite da febre reumática é o sintoma mais comum da doença e acomete 3 em cada 4 pacientes.

A cardite é a complicação mais grave da febre reumática e ocorre em cerca de 40 a 50% dos casos. Quem já teve um episódio de febre reumática apresenta um alto risco de rescindência toda vez que surge uma nova faringite, sendo portanto, necessário tratamento antibiótico profilático (explico mais abaixo). A febre reumática tem cura, e o tratamento é feito com o uso de antibióticos, como a penicilina benzina ou benzetacil, prescritos pelo pediatra ou clínico geral. A prevenção da febre reumática é muito importante para evitar o desenvolvimento desta doença e suas sequelas. Respeite os intervalos determinados pelo médico para retomar o tratamento medicamentoso; * Esteja atento: sem o tratamento adequado, a febre reumática é uma doença com taxa expressiva de mortalidade. A Coreia de Sydenham corresponde a uma alteração no sistema nervoso central, decorrente da doença reumática, encontrada em pessoas que têm sensibilidade especial a infecções causadas por es­treptococos. A coreia de Sydenham pode ser a única manifestação clínica da doença reumática em atividade. Como a doença reumática, a coreia de Sydenham afeta sobretudo crianças (entre dez e quinze anos), prin­cipalmente as do sexo feminino. causas da coreia Sydenham coreia é um dos principais sinais de febre reumática aguda.

ATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA EM PACIENTES COM FEBRE REUMÁTICA

  • SOC (Sintomas obsessivo-compulsivos).
  • TOC (Transtorno obsessivo-compulsivo).
  • Distúrbios cardíacos.
  • Doença cardíaca valvular.
  • Artrite.
  • Disartria.
  • Distúrbios na marcha.
  • Falta de coordenação dos movimentos.
  • Alterações de personalidade.
  • Tremor.
  • Fraqueza muscular.
  • Coprolalia.
  • Comportamento impulsivo.

Discute-se aqui como uma entidade separada, porque pode ser o único sinal de febre reumática em alguns pacientes.

É preciso ter predisposição genética para ser atingido pela febre reumática e, por isso, apenas cerca de 3% daqueles que têm infecção na garganta pelo Streptococcus apresentam a doença. Refere-se a uma inflamação do miocárdio, do pericárdio ou do endocárdio e diz respeito à manifestação mais significativa da febre reumática, pois pode causar danos permanentes no coração. Torna-se necessário sempre considerar a febre reumática entre os diagnósticos diferenciais em uma criança inclusa nos casos de coreia. | ID: lil-682209 A coreia de sydenham e a cardite reumática estão associadas à infecção estreptocócica prévia e são consideradas duas das manifestações maiores da febre reumática. Uma reaparição isolada da febre reumática na área intermontanhosa dos EUA foi recentemente descrita.94 Em 1985, a incidência da doença em “Salt Lake County”, Utah, alcançou 18,1100.000. Os fatores epidemiológicos predisponentes mais consistentes para a febre reumática parecem ser as condições de moradia com casas superlotadas, contato pessoa-pessoa e tratamento e prevenção inadequados das infecções estreptocócicas. Esses achados provam o conceito da suscetibilidade geneticamente determinada à febre reumática e particularmente à doença reumática cardíaca. O sexo não tem nenhum papel na suscetibilidade da febre reumática, sendo a incidência a mesma em homens e mulheres, porém com o sexo influenciando nas manifestações da doença. A cardite é a manifestação mais importante da febre reumática aguda por ser a única que pode resultar em seqüela permanente e mesmo na morte.

Tratamento da febre reumática

encontraram 27% apresentando doença valvar mitral após 29 anos.4,13 Em muitos destes pacientes, não havia recorrências reconhecidas de febre reumática.

A febre está presente em mais de 90% das crianças com febre reumática em início, mas logo diminui de intensidade ou mesmo desaparece após as primeiras semanas. Estes estão quase sempre elevados na presença de febre reumática aguda, a não ser quando há falência cardíaca, pois a VHS pode estar normal. O tratamento da febre reumática aguda com aspirina ou esteróides pode levar à diminuição da VHS, apesar da doença ainda estar em atividade. Um ou ambos os testes podem se tornar elevados após diversas infecções respiratórias e assim o diagnóstico de febre reumática recorrente não deve ser baseado somente nestas evidências. Todo paciente com febre reumática deve ter uma cultura de orofaringe e, sem se levar em conta os resultados, deve-se fazer um tratamento para a faringite estreptocócica como descrito acima. Como a infecção assintomática também pode levar à recorrência da febre reumática, mesmo um tratamento perfeito das infecções sintomáticas pode ser falho na prevenção das recorrências. Muitos dos casos de febre reumática recorrente e de grave doença cardíaca reumática do passado eram resultado destas infecções. Assim, a terapia profilática antibiótica contínua é a chave para o controle da febre reumática recorrente.81,91 A terapia profilática deve ser iniciada imediatamente após o tratamento da infecção estreptocócica primária. Os pacientes com doença cardíaca reumática usualmente não apresentam história de febre reumática.

Coreia de Sydenham e cardite subclínica como manifestações da febre reumática: relato de caso / Sydenham’s chorea and carditis and subclinical manifestations of rheumatic fever: a case report

Num acompanhamento de 10 anos de 115 pacientes com febre reumática aguda que fizeram antibioticoterapia profilática regular subseqüente (penicilina benzatina na maioria), Tompkins e cols.

Além disso, é bem sabido que a doença reumática valvar, quando estabelecida, pode progedir na ausência de febre reumática recorrente.4,13,14,77 Mesmo assim, o trabalho de Tompkins e cols. Eles deveriam receber profilaxia mesmo na ausência de doença cardíaca ou de episódio recente de febre reumática. Na grande maioria dos pacientes que desenvolvem a cardite durante o surto de febre reumática, esta já está presente quando o paciente é visto pela primeira vez. A prednisona é o esteróide mais freqüentemente empregado no tratamento da febre reumática. de febre reumática com doença atividade. A Coreia de Sydenham geralmente desenvolve-se após uma infeção por Streptococcus e pode ocorrer como um achado isolado ou como uma complicação da Febre Reumática Aguda. A Coreia de Sydenham é geralmente diagnosticada com base nos sintomas característicos e na investigação de uma infeção de Febre Reumática recente. Outro aspeto importante do tratamento é a administração profilática de penicilina para evitar o risco de inflamação do tecido cardíaco (cardite), após a Febre Reumática. [UpToDate atualização Jan 2017] Não se esqueça de que em casos de artrite, cardite, valvulopatias mitral/aórtica e coreia, a febre reumática é um diagnóstico a ser pensado. Os surtos agudos de Febre Reumática podem ser diagnosticados pela evidência de infecção estreptocócica prévia e dois critérios maiores ou um maior e dois menores dos descritos abaixo. Não são patognomônicos de febre reumática, nestes casos costumam aparecer várias semanas após o início do surto e são associados a cardite crônica grave. Outros achados inespecíficos, mas freqüentemente presentes são eles: artralgia, febre, história pregressa de doença cardíaca reumática ou mesmo febre reumática, e achados laboratoriais e eletrocardiográficos. Antideoxirribonuclease B – a exemplo da antiestreptolisina-O, é outro anticorpo contra produto estreptocócico, mas persiste em níveis elevados por mais tempo no soro de pacientes com febre reumática. A Febre Reumática é uma doença grave que atinge 3 em cada 100 pacientes que apresentaram infecção de garganta tratada de forma inadequada e se caracteriza por dores nas juntas. Quando há o diagnóstico de Febre Reumática, passa a ser necessário evitar que haja nova infecção, que poderia afetar ainda mais o coração da criança. Fonte: www.geocities.com A febre reumática é uma inflamação das articulações (artrite) e do coração (cardite) que se deve a uma infecção estreptocócica, habitualmente da garganta. Nesse mesmo país, a criança que tiver uma infecção estreptocócica ligeira (habitualmente inflamação de garganta) e não receber tratamento apresenta uma probabilidade de desenvolver febre reumática de 1 em 1000.